Já dizia Vinicius de Moraes…

Já dizia Vinicius

(Algures em 2017)

Sobre o amor, já dizia Vinicius de Moraes:

“Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.”

Tal premissa sempre me causou certa inquietação, porque sendo um poeta e um amante do próprio “Amor” a afirmá-lo, devia ter um certo fundo de verdade. Era como uma nuvem negra premonitória do futuro de todos os amores. Mas… para o cacete o Vinicius! Quando … Ler mais

Viver como se fosse o último mergulho

20 de junho2017

Passei a manhã com eles na praia. Brinquei com eles dentro de água e contei-lhes a história dos Sete Cabritinhos quando se sentaram em cima das minhas pernas, à beira-mar. Corri atrás de um chapéu de sol em fuga, espetei o pé numa pedra e ainda assim eles chamaram-me “Mãe Sonic”. Arranquei-lhes gargalhadas à frente do espelho, quando lhes pus o cabelo em pé com a espuma do champô, ao … Ler mais

E então eu congelava este momento…

congelava-este-momento

E então eu congelava este momento e vivia na sua tranquilidade idílica, para sempre. E na sua paz, ignorava as notícias hediondas que chegam até mim, o tempo todo, como baldes de água fria. Ignorava mais um monstruoso ataque à Humanidade. Ignorava as mulheres e crianças assassinadas num parque infantil no Paquistão, neste Domingo de Páscoa. Ignorava que a minha Europa se está desmoronar aos poucos quando os seus cidadãos … Ler mais

“Não quero ser velhota”

não-quero-ser-velhota

Depois de saírem do infantário, o irmão veio o caminho todo a dizer que lhe ia fazer uma sopa de placas dentárias e um arroz de dentes. Como ela continua impressionável em relação ao assunto, ele vai aproveitando para se divertir a horrorizá-la, sempre que pode. E depois já não eram só placas e dentes, mas também cérebros e tripas. Uma porcaria sem tamanho, com ela a gritar com genuína … Ler mais