30 euros em parvoíces

30-euros-em-parvoíces

Antes de irmos buscar os miúdos ao infantário, passámos propositadamente pelo supermercado para comprar manteiga. Um único e simples pacotinho de manteiga, até porque tínhamos lá estado três dias antes e não precisávamos de mais nada.
Para nós, uma simples ida ao supermercado a dois é uma boa desculpa para namorar, falar sobre o nosso dia ou apenas para aparvalhar – actividade muito salutar entre duas pessoa que se amam … Ler mais

17 de Março

Não sei quando começámos a namorar. Lembro-me de uma tarde, em que deitados na sua velha cama de adolescente, ele me perguntou se queria ser sua namorada. Ri-me, porque nessa altura palpitava-me que já não éramos só amigos, ou eu nunca estaria deitada ali, naquela tarde quente de Verão, em trajes menores (ou ausência dos mesmos).
Também não recordo o dia exacto em que fomos viver juntos. Até porque ele … Ler mais

Não adianta

nao-adianta

Não adianta de nada saírem para jantar, hoje, em clima exacerbado de romantismo, se se esquecem de o fazer nos outros dias do ano.
Não adianta comprarem um lindo ramo de rosas vermelhas, hoje, se são incapazes de lhe roubar uma flor no jardim nos outros dias, só porque sim.
Não adianta escreverem uma mariquice forçada num postal com ursinhos carinhosos, se não lhe mandam um “Tenho saudades tuas. Mal … Ler mais

Sentido prático feminino

1 sofia gloria modern family

Pousou os pacotes de leite e o saco das compras no chão e despiu a sweat ensopada, queixando-se da chuvada que tinha apanhado e da chata que tinha apanhado à sua frente, na caixa do supermercado, com quinhentas dúvidas quanto aos cupões de desconto que levara consigo, originando uma fila interminável atrás de si.
Enquanto ele falava, eu olhava intrigada para o saco das compras – aqueles de 50 cêntimos … Ler mais

2015 – O corte

foi só um cortesinho

Não sou mulher de dietas (nunca me hão-de ver pagar para comer salada num restaurante). Não frequento o ginásio (pecado gravíssimo na sociedade actual). Até hoje, fui apenas duas vezes à manicure, porque pareço uma “agarrada” que não consegue deixar de roer as unhas, principalmente quando estou a rever o que escrevi ou a inventar alguma – terrível, terrível, terrível! Gosto de roupa, sapatos e maquilhagem, mas não faço listas … Ler mais

Saltos, para que vos quero?

Saltos para que vos quero2

Fim do dia. O programa é de adultos e os miúdos estão entregues aos avós.
Depois de escolhido o vestido, a grande dúvida é: as minhas sandálias pretas rasas, extremamente confortáveis que nunca me deixam ficar mal, ou as sandálias de salto agulha extremamente sexys, às quais não estou minimamente habituada e das quais tenho muito medo? Até porque elas habitam o canto mais recôndito do meu roupeiro e … Ler mais

“E irmos para a Arábia Saudita?”

indiana jones

Ele sentou-se à minha frente, com ar de caso.
– Tenho um colega que vai trabalhar para a Arábia Saudita. Pagam-lhe cinco vezes o ordenado que recebe cá, com direito a dois meses de férias, duas viagens a Portugal por ano, e casa num condomínio fechado. Já viste que espetáculo?
Olhei-o por cima do portátil, adivinhando o que se seguiria àquilo.
– E?
– Também podíamos ir.
– Não, não … Ler mais

Cheiro de “casa em obras”

Cheiro de casa em obras

– É aquela. – disse enquanto atravessava a estrada empedrada, e segui-a, sem sequer verificar se havia risco de ser atropelada. Estava demasiado distraída a olhar para cima, observando a fachada centenária, as janelas brancas e o varandim em ferro torneado pintado a verde, tal como a porta da entrada que se encontrava aberta.
Ela subiu os íngremes degraus de madeira cobertos de pó das obras, e subi atrás dela, … Ler mais