Na escuridão da noite

escuridão-da-noite

Eu e o Dom Baltazar no nosso passeio nocturno, tranquilos da vida. Eu a ver as estrelas e a pensar na vida… Ele a cheirar exaustivamente a urina canina alheia em todos os postes ao longo da rua… Até que ele pára, a fitar algo na escuridão da noite, junto ao contentor do lixo. O pêlo do dorso eriça-se, detectando uma possível ameaça. Um rosnado ameaçador ecoa da sua garganta, … Ler mais

Sapateado demolidor

sapateado

Sai disparado a patinar e só ouço as unhas a bater no chão. “Tec tec tec tec”. Dá cinco voltas sobre si próprio e tenta agarrar a cauda com ganas de quem lhe anda a prometer um enxerto há muito tempo (toda a gente sabe que os cães sofrem imenso bulliyng das próprias caudas). Pára com as patas flectidas e olha para mim de lado com ar alucinado, à espera … Ler mais

As postas de bacalhau

as-postas-de-bacalhau

Há uns anos que tentamos alimentar uma tradição de amigos de sempre, em que todos os Dezembros partimos para a Beira Interior, para o nosso fim-de-semana especial de Natal, em busca de sossego, ar puro, frio serrano congela ossos, serões à lareira, cheiro a fumeiro no cabelo, jogos parvos e infantis, “filosóficas” conversas pela madrugada fora, gargalhadas de perder o fôlego e leves dores de cabeça na manhã seguinte – … Ler mais

Eram três queijinhos…

Sabem aqueles queijinhos curados, super chulezeiros, mas que quando pior cheiram melhor sabem, e que acompanham mesmo bem com um bom tinto nestes dias que já deixam adivinhar o Outono? Aquelas iguarias que algum familiar amoroso se lembra de nos trazer do Alentejo, e que apesar de mal conseguirmos esperar para as comer, adiamos o momento para uma altura mais tranquila e propícia à degustação dos pequenos prazeres da vida, … Ler mais