“Um dia de semana à tarde”

Outono em Portugal

Eles apertam-me as mãos com força e saltitam de entusiasmo, fazendo as pás e as formas chocalharem dentro dos baldinhos da praia. Falam ao mesmo tempo, atropelam-se nas palavras, mas consigo ouvir o que cada um tem para me dizer. À nossa frente, e em êxtase com a perspectiva de um mergulho, Dom Baltazar puxa a trela com o vigor de um corcel com ânsias de liberdade. E derrapa com … Ler mais

O mais novo membro da família

O sacana4

Lembro-me que quase não dormi nessa noite. Lembro-me que estava ansiosa e entusiasmada como uma autêntica criança. Lembro-me das conjecturas que não conseguia parar de fazer: “e se não conseguirmos escolher um? E se não houver nenhum que nos escolha? E se não gostarmos de nenhum e nenhum gostar de nós? Será melhor escolhermos um mais atrevido ou um mais pachorrento? Se calhar um pachorrento não estraga tanto! Mas um … Ler mais

A “malta dos cães”

O jardim Dom Baltazar

É curioso como a nossa sociedade arranja uma série de termos técnicos para classificar os mais diversos tipos de descriminação (racismo, xenofobia, homofobia, misoginia, machismo, misandria) e condena-os a todos, mas depois referem-se depreciativamente a determinados grupos de pessoas como por exemplo “ah e tal, essa malta dos cães (que horror!)”, como se fossem de um universo à parte. Como se chamará à descriminação feita à “malta dos cães”? Canídeofobia? … Ler mais