“O amor não se compra. O amor merece-se.”

O amor merece-se

O Salvador, agarrado ao gato, a ter conversas banais que qualquer criança de sete anos tem com o seu animal de estimação: “Gato, o amor não se compra. O amor merece-se. Percebeste?”
Por mim, nada a acrescentar.
Só acho que o gato é da opinião que o amor se merece, mas só depois umas quantas embalagens de whiskas saquetas ou umas fatiazinhas de fiambre da perna extra, bem fininhas, acompanhadas … Ler mais

Sabes gato…

sabes-gato

Sabes gato…

um dia vais crescer e engordar e deixar de ser só orelhas e olhos. Vais deixar de subir para cima da mesa do pequeno-almoço e tentar beber-me o café e roubar-me as torradas, o queijo, o fiambre, os ovos mexidos e tudo o que nós comemos, basicamente. Não irás mais provar sopa directamente da panela nem aparecer com os bigodes sujos de molho de tomate. Vais dormir ao … Ler mais

Eram três queijinhos…

Sabem aqueles queijinhos curados, super chulezeiros, mas que quando pior cheiram melhor sabem, e que acompanham mesmo bem com um bom tinto nestes dias que já deixam adivinhar o Outono? Aquelas iguarias que algum familiar amoroso se lembra de nos trazer do Alentejo, e que apesar de mal conseguirmos esperar para as comer, adiamos o momento para uma altura mais tranquila e propícia à degustação dos pequenos prazeres da vida, … Ler mais

Dom Baltazar e o atentado

Baltazar e o atentado

Tudo aconteceu esta manhã, enquanto passeava pelo jardim com o meu comparsa canino, Dom Baltazar, e ele se lembrou de correr atrás dos pombos que parecem ter lugar cativo num determinado ponto do passeio, mesmo por baixo de uma determinada varanda, de onde todos os dias chovem banquetes destinados à comunidade columbófila da rua. Ora, apesar de não ter cartão de sócio, Dom Baltazar quis participar da festa e interagir … Ler mais