A rapariga do cabelo vermelho

A-rapariga-do-cabelo-vermelho

A rapariga fumava um cigarro encostada à parede do supermercado, frente ao parque de estacionamento, com um cabelo vermelho vivo que não passava despercebido a ninguém. Assim que a viu, a Maria apertou-me a mão e começou a sussurrar, com grande entusiasmo. Já perdi a conta às vezes que lhe disse que não deve segredar-me coisas à frente de outras pessoas. Peço-lhe que guarde na memória o que me quer … Ler mais

“O amor não se compra. O amor merece-se.”

O amor merece-se

O Salvador, agarrado ao gato, a ter conversas banais que qualquer criança de sete anos tem com o seu animal de estimação: “Gato, o amor não se compra. O amor merece-se. Percebeste?”
Por mim, nada a acrescentar.
Só acho que o gato é da opinião que o amor se merece, mas só depois umas quantas embalagens de whiskas saquetas ou umas fatiazinhas de fiambre da perna extra, bem fininhas, acompanhadas … Ler mais

Dissidentes natalícios

dissidentes-natalícios

Há coisas sagradas com as quais não se brinca. Princípios que alimentam a nossa essência, a nossa identidade, que nos acompanham ao longo da vida, transportando em si um pouco da magia de que somos feitos. Ah, mas não… Não pode ser! Porque há sempre alguém armado em moderninho que tem que dar azo à sua criatividade e ego “artístico” gigantesco e puxar-nos o tapete debaixo dos pés e abalar … Ler mais

Quantos dias faltam?

quantos-dias-faltam

Conversas quando vamos as duas a pé, buscar o irmão à escola.
– Quantos dias faltam para o Natal, mãe?
– Faltam muitos, ainda.
– Quantos?
– As tuas mãos, cinco vezes.
Ela olha para as mãos, e abre e fecha-as cinco vezes.
– Hum… Isso é muito. – conclui, desanimada.
– Pois é. Mas vai passar num instante, vais ver.
Ela fica calada, com ar de quem processa a … Ler mais

Contentores

ecoponto

O ponto alto do dia deles foi no caminho entre a escola e a nossa casa, o qual percorremos todos os dias a pé. E porquê?

Porque fizemos uma paragem no parque?
Não.

Porque a mãe fez o bolo preferido deles para o lanche?
Não.

Porque no regresso tivemos um encontro imediato com um ecoponto voador?
Sim! Isso mesmo! Quem nunca?
E lá ficamos nós, parados no passeio, a assistir … Ler mais

Ao poderoso chamado do Equinócio

ao poderoso chamado do Equinocio

Eu queria sentar-me com calma e escrever sobre como tu vieste ao poderoso chamado do Equinócio de Outono e da Lua Cheia – a mais bonita e brilhante que vi na vida – numa madrugada serena de Setembro de 2010. Queria contar como a enfermeira que te puxaria para o mundo, se sentou ao pé de mim e partilhou comigo um chá de maçã e canela polvilhado de sorrisos e … Ler mais

Está dito, está dito!

está-dito-está-dito

Começo o dia a beber café na companhia da minha filha e da minha mãe, depois de deixar o pequeno na escola. À saída da pastelaria encontramos uma senhora idosa de cabelo branco e olhar doce que pelo que percebi conhece a minha mãe desde criança mas que não a vê há décadas, e por isso manifesta grande contentamento com o reencontro. Iniciam-se então as actualizações da vida: “E o … Ler mais

Sete anos

16 de Setembro

Nos últimos dias mal tive tempo de me deter sobre um dos maiores eventos da minha vida: o teu nascimento e o sétimo ano após esse grande dia. Acho que é porque mal consigo acreditar que já se passaram sete anos, que tu acabaste de entrar na escola primária sem sequer temeres o meu virar de costas, e no fim do dia ainda me dizes com o teu sorriso sedutor … Ler mais

O trolley

o trolley 1

Vou à procura da mochila que ele tem guardada no roupeiro, há já uns meses, à espera do seu momento de utilidade escolar (ou seja, amanhã). Está destinada para este fim desde o dia em que uma amiga da família lhe ofereceu, e por isso foi das poucas coisas que não tive que me preocupar em comprar. Sei que a adorámos no dia em que ele a desembrulhou e ficou … Ler mais

Caminhar sozinho

Dia dos irmãos

O ano passado matriculei-o. Ele não entrou porque era “condicional” apenas por um dia.
Este ano matriculei os dois. Ela não entrou, por ser “condicional” por uma semana.
Eles estão juntos quase desde sempre. Qualquer pessoa diria desde que ele tinha um ano, mas eu digo que estão juntos desde os seus três meses de vida – altura em que ela, com pressa de se juntar ao irmão, passou a … Ler mais