Gajas?!

gajas

– Oh mãe! Põe lá gaijars no teu computador, para eu ver! – pediu-me ele, provocando-me uma paragem cerebral momentânea.
– Ponho o quê?!!!! (Gajas?! – exclamou uma voz na minha cabeça – Ele disse gajas?!!!! Mas isso lá é coisa que se peça à mãe, oh criancinha com seis anos recentemente feitos?!!! Vou ter que ter uma conversinha com o teu pai. E com o teu tio, e com o teu avô, e com os restantes homens que fazem parte da tua vida…)
Depois ele repetiu.
– Gaijars, mãe!
Eu continuei a olhar para ele, atónita, boquiaberta, testa franzida, a tentar perceber onde a conversa das “gaijars” ia parar e a interrogar-me porque é que ele o pronunciava assim.
– O pai já me mostrou.
(O pai já mostrou?!!! Como assim, o pai já mostrou?!!!)
– Oh mãe, aquela água que rebenta da terra, assim! – explicou, exasperado, e depois fez o som de uma explosão enquanto expelia uma série de perdigotos e gesticulava com as mãos em sentido ascendente, numa talentosa demonstração de mímica, que só a inocência e espontaneidade infantil permitem.
– Ahhhhh… – entoei, sentindo-me profundamente estúpida. E também aliviada.
Não sei como pude pensar que a minha criança se estava a transformar num mini tarado machista júnior, quando ele estava era a fervilhar de curiosidade científica sobre hidrogeologia e nascentes termais que entram em erupção periodicamente, lançando uma coluna de água quente e vapor para o ar: GEYSERS, esclareça-se aqui de uma vez por todas, e não “gajas”!
Cada coisa, a seu tempo.
Um menino tão brilhante, e calha-lhe uma mãe destas… Pérolas a porcos, é o que vos digo.
Ele é a pérola, evidentemente.

Partilha!Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someoneBuffer this page

Leave a Comment.