Estou a vê-lo nos teus olhos…

Chegou o vitinho

– Mãe, quero mais queijo.
– Comes a última fatia e vais para a cama.
– Mas quero ver desenhos animados.
– Vês amanhã. Hoje já é muito tarde e tu estás cheio de sono.
– Não estou nada! – afiançou, com os olhos vidrados de cansaço e com o punho a coçar um deles.
– Estás, estás. Estou a vê-lo nos teus olhos. Está mesmo aí…
– Quem?
– O sono!
E ao ouvir isto arregalou os olhos e abriu a boca, de espanto.
– Estás mesmo a ver o sono?!!!
– Estou pois!
– Como?
– É uma coisa que as mães conseguem fazer…
– E como é que ele é? – perguntou com um real interesse.
– É azul… – improvisei. – E brilhante, como as estrelas lá fora. E tem muitos sonhos bonitos à escolha, lá dentro.
O espanto voltou a surgir no seu rosto e na exclamação entoada por ele, numa ingenuidade infantil deliciosa.
Passados vinte minutos continua à frente do espelho, a tentar avistar o sono, frustrando a minha tentativa de o mandar para a cama. Há alturas em que devia, pura e simplesmente, repudiar a minha imaginação e limitar-me a um simples e autoritário “Cama. Já!!!”. Nunca falha.

Partilha!Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someoneBuffer this page

Leave a Comment.