Na escuridão da noite

escuridão-da-noite

Eu e o Dom Baltazar no nosso passeio nocturno, tranquilos da vida. Eu a ver as estrelas e a pensar na vida… Ele a cheirar exaustivamente a urina canina alheia em todos os postes ao longo da rua… Até que ele pára, a fitar algo na escuridão da noite, junto ao contentor do lixo. O pêlo do dorso eriça-se, detectando uma possível ameaça. Um rosnado ameaçador ecoa da sua garganta, … Ler mais

Viver como se fosse o último mergulho

20 de junho2017

Passei a manhã com eles na praia. Brinquei com eles dentro de água e contei-lhes a história dos Sete Cabritinhos quando se sentaram em cima das minhas pernas, à beira-mar. Corri atrás de um chapéu de sol em fuga, espetei o pé numa pedra e ainda assim eles chamaram-me “Mãe Sonic”. Arranquei-lhes gargalhadas à frente do espelho, quando lhes pus o cabelo em pé com a espuma do champô, ao … Ler mais

Terror no talho

terror-no-talho

Fomos ao talho.
Curiosa, a Maria Luísa encosta-se à vitrine a observar atentamente cada peça de carne, até que se depara com um leitão rosadinho que parece dormir o sono dos inocentes:
– NÃO! O porquinho Babe! – grita horrorizada, levando as mãos à cara.
Em choque, desvia os olhos noutra direcção para arregalá-los novamente perante as codornizes alinhadinhas e depenadas de rabo espetado:
– Oh não, mãe… Eles têm … Ler mais

Uma casa portuguesa

casa-portuguesa

10 de Junho
Somos muitos à mesa, ou não fosse esta uma casa portuguesa. Há cheiro a sardinha assada e a salada de pimento com orégãos. Há pão a ansiar por queijo, azeitonas e tinto. Há um jarro de sangria fresquinha e um arroz doce cremoso adornado com canela, feito com amor pela minha avó – já vos disse que é o melhor do mundo? O almoço nunca é silencioso. … Ler mais