Signos

signos

Lá veio ela, novamente, com a sua peculiar concepção dos signos, depois de há algum tempo terem falado sobre o assunto na escola:
– Sabes, mãe? Eu e a minha amiga Gabriela somos muito bem comportadas e arrumamos sempre os brinquedos todos lá na sala. E isso é porque somos as duas do signo Balança!
Franzo o sobrolho, impressionada com tamanha modéstia e intrigada com a teoria.
– Ah é?… Ler mais

E então eu congelava este momento…

congelava-este-momento

E então eu congelava este momento e vivia na sua tranquilidade idílica, para sempre. E na sua paz, ignorava as notícias hediondas que chegam até mim, o tempo todo, como baldes de água fria. Ignorava mais um monstruoso ataque à Humanidade. Ignorava as mulheres e crianças assassinadas num parque infantil no Paquistão, neste Domingo de Páscoa. Ignorava que a minha Europa se está desmoronar aos poucos quando os seus cidadãos … Ler mais

Atenção Nemo!

Atenção-Nemo

Hora de brincar na banheira.
Quando passo à porta da casa de banho, oiço alguém lá dentro a gritar em grande aflição: “Ah! Nãããão!”
Em sobressalto, entro de rompante a pensar que vou encontrar uma criança cega pelo champô, ou com a cabeça partida, ou com as sobrancelhas rapadas com uma gillette, mas ele encontra-se deitado e tranquilo, envolto num mar de espuma perfumada. Levanta a cabeça, olha para mim, … Ler mais

Os senhores das couves de Bruxelas

os-senhores-das-couves-de-Bruxelas

Hoje de manhã, quando cheguei à cozinha e liguei a televisão enquanto eles se sentavam à mesa para tomar o pequeno-almoço, não consegui disfarçar o choque e calar a fúria que senti ao ver mais uma vez a Europa ajoelhada perante o carrasco do costume. Acho que me zanguei com a televisão, como se ela pudesse ouvir e guardar os meus lamentos, e perante a minha a indisfarçável indignação o … Ler mais

Penacho

penacho

Eu, em choque, ao perceber que ela tem um penacho de cabelo espetado sobre testa que tenho a certeza que não estava lá antes.
– Podes dizer-me o que aconteceu ao teu cabelo?
Ela desvia o olhar e começa a rir e a gaguejar, baixinho, sem saber o que dizer.
– Hum…ahhh… Tenho vergonha de dizer.
– Pois, mas eu quero saber. O que te aconteceu ao cabelo?
– Estive … Ler mais

A todos os pais…

a-todos-os-pais

A todos os Pais…

Aos mais experientes e aos que ainda agora estão a começar.
Aos que tremeram de medo, desmaiaram de choque, choraram de alegria, rejubilaram de orgulho e embarcaram nessa viagem que os faria ser mais e melhores.
Aos que embalam os filhos, preparam biberões de madrugada e lhes sorriem ternamente como que meio a dormir, sabendo que dali a duas horas têm que se levantar para ir … Ler mais

17 de Março

Não sei quando começámos a namorar. Lembro-me de uma tarde, em que deitados na sua velha cama de adolescente, ele me perguntou se queria ser sua namorada. Ri-me, porque nessa altura palpitava-me que já não éramos só amigos, ou eu nunca estaria deitada ali, naquela tarde quente de Verão, em trajes menores (ou ausência dos mesmos).
Também não recordo o dia exacto em que fomos viver juntos. Até porque ele … Ler mais

Mulheres

Dia da Mulher

Mulheres.
Fazemos juízos de valor das que optaram por se dedicar “apenas” à família, e juízos de valor das que optaram por não ter nenhuma.
Julgamos as que só vivem para o trabalho e que veem na próxima promoção o principal objectivo de vida, e julgamos as que trabalham arduamente em casa, sem férias nem horários e sem esperar promoção alguma.
Julgamos as que vivem do corpo. As que vendem … Ler mais

Tripod

tripods

00.30
Estou no meu quarto, no andar de cima, a ler umas coisas e a escrevinhar outras (para variar).
Os miúdos dormem tranquilamente nos seus quartos.
A televisão está desligada e não se ouve qualquer barulho. Até que sinto um estrépito cavernoso, cadenciado. Uma trepidação indecifrável, que me provoca um arrepio. Um som grave que parece ecoar pelas paredes acima. Será que deixei algum aquecedor ligado lá em baixo e … Ler mais

O canto da neve

i5

Receando que o tempo piorasse, decidimos ir até à torre antes de pararmos no hotel. Não queria que eles achassem que a neve que lhes prometíamos se reduzia aos montinhos brancos acumulados à beira da estrada, mesmo que para eles fosse mais que suficiente. Por eles, nós ficávamos logo ali, a aproveitar aquela dádiva da natureza que não passava de uma escassa amostra. Um confetti perdido, quando a verdadeira festa … Ler mais