“Hoje ninguém vai à escola!”

hoje-ninguém-vai-a-escola

O despertador tocou às 8h. Refugiada sob o edredom, ouvi o vento soprar, a chuva a bater na janela e a cair no chão do terraço, e a ideia de ter de os arrancar das suas caminhas quentes, com aquele tempo, pareceu-me insuportável. Não há nenhum lugar onde tenhamos que comparecer, obrigatoriamente. Não há nada que me obrigue a acordá-los e a levá-los ao infantário, nesta manhã em que qualquer … Ler mais

Prometes?

prometes

– Oh mãe, eu não quero crescer. – pede-me ela num timbre anasalado de constipação que lhe confere uma vozinha particularmente fofa.
– Mas tens de crescer. Toda a gente cresce. Devagarinho e quase sem dar por isso… E quando estiveres crescida, vais adorar e fazer muitas coisas que não podes fazer agora.
– Mas eu não quero! – insiste, encostando a cabeça no meu ombro, como se isso a … Ler mais

2015 – O corte

foi só um cortesinho

Não sou mulher de dietas (nunca me hão-de ver pagar para comer salada num restaurante). Não frequento o ginásio (pecado gravíssimo na sociedade actual). Até hoje, fui apenas duas vezes à manicure, porque pareço uma “agarrada” que não consegue deixar de roer as unhas, principalmente quando estou a rever o que escrevi ou a inventar alguma – terrível, terrível, terrível! Gosto de roupa, sapatos e maquilhagem, mas não faço listas … Ler mais

Resquícios do Natal

A bezana do baltazar

“Onde estou? Quem sou eu? De onde vim? Porque me dói tanto a cabeça?
Lembro-me de ouvir música de Natal o dia todo. Da chata a mexer qualquer coisa, ao fogão. Não sei o que era, mas cheirava bem…
Lembro-me do nosso querido chegar a casa carregado de sacos e com um sorriso parvo na cara, e ela começar num misto de histerismo, ralhete e divertimento, a falar daquela forma … Ler mais